DSC_0004.JPG
DSC_0046.JPG
DSC_0067.JPG
DSC_0072.JPG
DSC_0069.JPG
DSC_0020.JPG
DSC_0074.jpg
DSC_0074.jpg
DSC_0028.JPG
DSC_0065.JPG
DSC_0060.JPG

Vale de Amoreira

Vale de Amoreira é uma freguesia portuguesa do concelho de Manteigas, distrito da Guarda, com 16,60 km² de área e 223 habitantes (2011) que duplica nos meses de verão devido ao regresso para férias de muitos naturais desta aldeia. A sua Freguesia foi criada em 1988 e até 1 de Janeiro de 2002, fez parte do concelho da Guarda.  

 

Muito embora não haja notícia alguma directamente relacionada com o território desta freguesia, por volta do século XII, não é de excluir a hipótese de ela já ter sido povoada, em épocas anteriores à Nacionalidade, a crer pelos fortificados castrejos da região e, especialmente da vizinhança de Valhelhas, povoação que demonstra maior antiguidade.

Porém a toponímia não exprime claramente a antiguidade de Vale de Amoreira, mas vários factores dizem-nos que já no século XII, o povoado, ainda que como “quintã” burguesa, ou quinta de um Cavaleiro-vilão ou peão herdador de Valhelhas, e seria assim parte integrante da vizinha localidade de Valhelhas.

Eclesiasticamente, no século XIV, à luz do arrolamento Dionísio de 1320-1321, que cita a Igreja de Valhelhas, entre as da Guarda, não faz qualquer referência a Vale de Amoreira, que tudo indica devia, por isso, ser parte daquela (Santa Maria de Valhelhas).

Em todo o caso, parece não se dever àquela a criação da paróquia do Vale de Amoreira, por isso que a igreja local (Santa Maria, talvez ermida medieval, erguida pelos primeiros povoadores) não era da apresentação do pároco daquela, e, por isso, não sua filial. Santa Maria de Vale de Amoreira era nos últimos tempos dos padroados (antes da revolução liberal de 1820) um priorado apresentado pela casa real, sendo que este prior tinha um rendimento de 100 mil réis, que era já um valor considerável nesta altura.

 

Durante as violentas guerras civis que afetaram o País em meados do século XIX, Vale de Amoreira teve um papel preponderante na fuga do general Povoas em Maio de 1847 fugindo das tropas de Costa Cabral tendo passado por Vale de Amoreira para fugir para Lamego.

Sendo domínio do castelo de Valhelhas e do seu termo, na velha “terra” de Trasserra, Vale de Amoreira pertenceu sempre ao concelho de Valhelhas até à extinção (24 de Outubro de 1855), em que passou para o concelho da Guarda, onde ficou até 2002. Vale de Amoreira beneficiou sempre deste crescimento do concelho de Valhelhas a qual foi sua sede de concelho e freguesia a maior parte da sua história. Em 1988 foi aprovada a criação de Freguesia de Vale de Amoreira terminando assim a sua dependência de Valhelhas e começando aqui uma nova fase da sua história, com um novo grande passo dado em 2002 quando passa a fazer parte do concelho de Manteigas no seguimento da escolha da sua população de sair do concelho da Guarda estando assim muito mais próxima da sua nova sede de concelho e na perspetiva de maior afectação de recursos de um município mais pequeno que tinha apenas 3 freguesias até aqui.  

 

Desde então conseguiu criar a sua autonomia e criar a sua identidade como freguesia, fazendo alguns investimentos e construindo alguns equipamentos e estruturas que trouxeram algum dinamismo para esta aldeia e que hoje a diferenciam pela rentabilização conseguida pelas pessoas que geriram os seus destinos nestes 25 anos.   

 

Vale de Amoreira é hoje uma freguesia emancipada com forte representação associativa que conseguiu crescer de forma sustentável e que orgulha os seus filhos da terra residentes e os deslocados que se encontram fora da sua terra natal e que regressam anualmenta nos meses de verão tornando a nossa aldeia multicultural (fala-se Françes, Almeão entre outras línguas) e agradável tanto para os naturais como para os seus filhos e netos que apesar de nao terem cá nascido não esquecem as suas origens. 

 

Sendo uma aldeia do interior com poucas oportunidades económicas e com uma população maioritariamente idosa conseguiu com alguns equipamentos criar alguns empregos e começa hoje a moldar-se como potencial aldeia turística no interior da serra pelas suas terras banhadas pelo rio Zêzere e a vasta floresta que circunda a aldeia totalmente integrada no Parque Natural da Serra da Estrela.

 

Vale de Amoreira pretende diferenciar-se neste segmento de turismo de floresta pelas suas condições logísticas e vistas amplas e airosas, tornando-se uma aldeia turística a conhecer afirmando-se num ponto logístico de referência na Serra da Estrela pelas suas fortes potencialidades das várias formas de turismo, desporto e tradições.

 

Vale de Amoreira é uma aldeia encantadora que representa o coração da serra da estrela que é o concelho de Manteigas do qual Vale de Amoreira se orgulha de fazer parte. 

 

Visite-nos... Vai voltar de certeza.